FINANCIAMENTO DA EXPANSÃO

A expansão da capacidade produtiva e melhorias na indústria da Minerva são oriundas de linhas de financiamento, dentre as quais se destacam instituições financeiras como Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, Banco da Amazônia – Basa, Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia – Sudam, e Financiadora de Estudos e Projetos – Finep. A contrapartida provém do caixa da Companhia, formado pela própria geração de caixa operacional, entre outras fontes de captação de giro.

Veja abaixo os principais compromissos financeiros com essas instituições financeiras vigentes em 31 de dezembrode 2013. (GRI-EC4)

Unidades industriais presentes agora em sete Estados brasileiros

MINERVA CO MPRA DUAS PLANTAS DA BRF

Em 1º de novembro de 2013, a Minerva anunciou a aquisição de duas plantas de abate e desossa da BRF no Mato Grosso – Estado onde não atuava. O negócio abrange as unidades de Várzea Grande e Mirassol D’Oeste, com capacidade total de abate de 2,6 mil cabeças/dia e receita líquida estimada de R$ 1,2 bilhão em 2012.

Em contrapartida, a BRF receberá 29 milhões de novas ações de emissão da Minerva (BEEF3), passando a deter 15,2% do capital total da Companhia, considerando a conversão total das debêntures mandatoriamente conversíveis em ações em junho de 2015. (GRI-2.9)

Também foi celebrado um contrato de fornecimento de carne para industrialização entre a Minerva e a BRF, em condições de mercado, com início do fornecimento atrelado à conclusão da operação, garantindo assim a colocação de parte da produção das unidades adquiridas.

A operação foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica em 20 de agosto de 2014, durante a edição deste relatório, submetida à apreciação da assembleia geral de acionistas da Minerva e aprovada em 1º/10/2014.

Unidades adquiridas aumentam em 23% a capacidade instalada de abate da Companhia, que agora é de 14.080 cabeças/dia.