Crescimento com a exportação

De um negócio familiar a uma das principais companhias de alimentos da América do Sul, a Minerva Foods está em crescente expansão de seus mercados interno e externo.

 

Ao longo de mais de 20 anos de história, a Minerva S.A. (Minerva Foods), com sede em Barretos, no interior de São Paulo, (veja endereço na legenda da pág. 9), passou de um negócio familiar a uma das principais companhias produtoras e comercializadoras de carne bovina in natura, couro, exportação de gado vivo e derivados da América do Sul. É responsável por quase 17% das exportações brasileiras desses produtos para os cinco continentes, além de atuar também no processamento de carne bovina, suína e de aves. Figura entre as três maiores indústrias do ramo no País. (GRI 2.1, GRI 2.2, GRI 2.4)

A Companhia iniciou a trajetória de sucesso em 1992, quando a Família Vilela de Queiroz, que desde o final dos anos 1950 desenvolvia atividades empresariais atendendo a pecuaristas no ramo de transporte rodoviário de cargas, comprou da massa falida do frigorífico Minerva do Brasil a planta industrial onde hoje funciona a Unidade de Barretos e também onde está a sede da Minerva. No final do mesmo ano, tiveram início as operações da Indústria e Comércio de Carnes Minerva Ltda.

Desde então, o principal foco da Minerva dirigiu-se ao mercado exportador, obtendo expansão contínua e consistente. Tem hoje uma estrutura com 12 unidades industriais no Brasil, Paraguai e Uruguai, estrategicamente localizadas próxima aos portos a partir dos quais exporta para mais de cem países de todos os continentes. Oito escritórios no Exterior fornecem o suporte a essa intensiva movimentação comercial. A Companhia tem, ainda, escritórios em São Paulo (SP) e Belém (PA), com funções administrativas e comerciais. (GRI 2.3, GRI 2.5, GRI 2.7)

 
 

ALTA PRODUTIVIDADE

No final de 2013, a Minerva tinha capacidade instalada para o abate de 11.480 cabeças/dia; a de desossa era 23% superior à de abate. A taxa média de utilização dessa capacidade no ano foi de 74,9%, índice bastante superior à média do setor no Brasil, que foi de 65%, de acordo com levantamento realizado pela Companhia com base nos dados disponibilizados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e pela Scot Consultoria.

Capacidade instalada


Abate

Desossa

Taxa de utilização

Média Brasil

11.480

+ 23%

74,9%

65%

 

 

A vocação internacional da Minerva Foods

Exportações responderam por cerca de 70% do faturamento bruto de R$ 5,8 bilhões em 2013.

O elevado percentual de crescimento das exportações se beneficiou da crescente demanda internacional, impulsionada pelos países em desenvolvimento (em especial China/Hong Kong e países do Oriente Médio e Norte da África) e pela menor oferta de carne no mercado mundial, uma vez que os principais concorrentes do Brasil, como Estados Unidos, Austrália e Europa, passaram em 2013 por situações adversas.

 

 

 

 

A Companhia manteve-se como segunda maior exportadora de carne bovina in natura do Brasil, com 18% das vendas externas, parcela igual à que tem no Paraguai. No Uruguai alcançou 10% das exportações do produto. (GRI 2.8)

"A Minerva atende a cerca de 1200 clientes de uma centena de países.(GRI-2.5)

Participação nas Vendas externas


Brasil
18%

Paraguai
18%

Uruguai
10%

 

ESCRITÓRIOS INTERNACIONAIS

 

 

UNIDADES OPERACIONAIS MF

 

 SEDES ADMINISTRATIVAS Belém (PA) São Paulo (SP)

 UNIDADES INDUSTRIAIS Araguaína (TO)
Barretos (SP) [MATRIZ]
Batayporã (MS)
Campina Verde (MG)
José Bonifácio (SP)
Palmeiras de Goiás (GO)
Rolim de Moura (RO)
Várzea Grande (MT)
Mirassol d’Oeste (MT)
Assunção PAR (duas)
Melo (URU)

 

expansão contínua

Receita líquida cresceu 19% em 2013, chegando a R$ 5,5 bilhões.

A Minerva S.A. é uma sociedade anônima de capital aberto, classificada como empresa de grande porte, de acordo com os critérios do BNDES (amplamente reconhecidos no mercado brasileiro), por ter receita operacional bruta superior a R$ 300 milhões.

Encerrou o ano com quase 10 mil empregados, além de 429 terceirizados, incluindo as companhias controladas do Brasil, além das sediadas no Paraguai e no Uruguai (GRI-2.6 e 2.8).

A acionista controladora direta da Minerva Foods é a VDQ Holdings S.A., que detinha em 31/12/2013, 35,26% do capital social e votante da Companhia. O capital social da VDQ é totalmente detido por integrantes da Família Vilela de Queiroz. (GRI 2.8, GRI-4.1).

 

 

Na estrada

A Minerva mantém frota própria de 49 caminhões, com a finalidade estratégica de assegurar a continuidade do transporte rodoviário em algumas regiões, além de balizar a qualidade e o preço do frete pago a terceiros – contratados para atender a aproximadamente 94% do volume de cargas gerado pelas unidades industriais e centros de distribuição. (GRI 2.2, GRI 2.3)

EVENTOS SOCIETÁRIOS

Em 6 de maio de 2013 a Minerva adquiriu ações da Friasa S.A., passando a deter 100% do capital social da controlada. (GRI 2.6, GRI-2.9)

Também em 29 de agosto de 2013, a Companhia incorporou a controlada Eurominerva Comércio e Exportação Ltda. A incorporação foi realizada sem relação de substituição da participação societária extinta, tendo em vista que a Companhia detinha a totalidade das quotas de emissão da Eurominerva. (GRI 2.6, GRI-2.9)

Em 1º/11/2013, a Minerva S.A. anunciou a celebração de um acordo de investimento entre a empresa e BRF S.A. que regula os termos e condições para a aquisição, pela Minerva, de ativos e operações de abate e desossa, naquele momento mantidos pela BRF, nas plantas de Várzea Grande e Mirassol D’Oeste, ambas localizadas no Estado do Mato Grosso, com capacidade total de abate de 2.600 cabeças/dia e Receita Líquida estimada de R$ 1,2 bilhão em 2012.” (GRI 2.6, GRI-2.9)

PRINCIPAIS EMPRESAS CONTROLADAS


Empresa

Localização

Ramo de negócio

Participação

Minerva Indústria e Comércio de Alimentos S.A.

Rolim de Moura (RO)

Atua em abate de bovinos e processamento de carnes

98%

Minerva Dawn Farms Indústria e Comércio de Proteínas S.A (Minerva Fine Foods)

Barretos (SP)

Processa e comercializa produtos à base de carne bovina, suínos e frangos.

99,99%

Pulsa S.A.

Melo, capital da Província de Cerro Largo, no Uruguai

Opera como frigorífico, abate e desossa, com 85% das vendas destinadas à exportação, principalmente para os mercados americano e europeu

100%

Friasa S.A.

Assunção, no Paraguai

Opera como frigorífico, abate, desossa e processamento de carnes

99,38%

Frigomerc S.A.

Assunção, no Paraguai

Opera como frigorífico, abate, desossa e processamento de carnes

99,99%

Transminerva Ltda

Barretos (SP)

Transportadora criada para atender à Companhia e reduzir gastos com fretes no Brasil

99,99%

 

Melhoria contínua é consequência do esforço concentrado na mitigação

GESTÃO ESTRATÉGICA de riscos contribui para eficiência

Profissionais de renome na indústria de carne bovina compõem a experiente equipe administrativa que aplicou uma política conservadora e eficiente de gestão de riscos, financeira e de caixa. Essa combinação conduziu aos resultados que distinguem a Companhia como referência para o setor em eficiência operacional, gestão de risco e disciplina financeira, o que implica reconhecimento de mercado e melhora a capacidade de atração e retenção de pessoas.

A identificação e a análise dos riscos aos quais está exposta a Companhia contribuem para a definição dos limites e controles apropriados, permitindo o monitoramento destes riscos e a aderência aos limites. A Diretoria Financeira é a responsável pela gestão de riscos.

A melhoria contínua dessa gestão é consequência do esforço concentrado na mitigação dos principais fatores que afetam os resultados da comercialização de commodities, especialmente o risco de flutuação das moedas estrangeiras e dos preços das matérias-primas.

Redução dos impactos

Dois modelos compõem o gerenciamento de riscos de mercado aplicados na Minerva:

• Sistema de cálculo estatístico conhecido como “VaR – Value at Risk”; e

• Sistema de cálculo de impactos através da aplicação de cenários de stress.

A Companhia analisa também a conjuntura econômica brasileira e mundial para avaliar os potenciais reflexos na sua posição financeira.(GRI 4.9)

Para reduzir o impacto financeiro decorrente da exposição aos riscos de mercado, a Minerva utiliza instrumentos cambiais, taxas de juros e derivativos (em cada caso, sem fins especulativos), com o propósito de proteger parcialmente suas operações contra os riscos de flutuação nas taxas de câmbio, nas taxas de juros e nos preços de compra de gado.

O ramo de atuação da Companhia está naturalmente exposto à variação dos preços do gado, que resulta de impactos fora do controle da Administração, tais como fatores climáticos, volume de oferta, custos de transporte, políticas agropecuárias e outros. Para garantir a realização dos estoques num patamar de preços, a Minerva mantém a estratégia de gestão de risco atuando no controle do suprimento físico, que inclui compras antecipadas, confinamento de gado e celebração de contratos de liquidação futura (balcão e bolsa).

Uma forma de mitigação desse risco é a distribuição estratégica da produção industrial da Minerva em sete Estados brasileiros (São Paulo, Minas Gerais, Tocantins, Goiás, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), além do Paraguai e do Uruguai. A diversificação regional contribui para a redução dos riscos sanitários relacionados

ao negócio, propiciando também a pulverização da base de pecuaristas – outro fator de mitigação porque reduz a dependência de fornecedores da matéria-prima.(GRI 4.9; GRI 4.11; EC2)

Mais um Estado

Em 2013, a Companhia trabalhou para expandir ainda mais as operações e em novembro anunciou a aquisição de duas plantas de abate e desossa, em Mirassol D’Oeste e Várzea Grande, ambas no Estado de Mato Grosso. Com a aquisição das unidades, antes detidas pela BRF, a Minerva passa a estar presente em mais um Estado brasileiro, o que corresponde à estratégia de expansão focada na América do Sul.

A negociação foi aprovada pelo Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica durante a preparação deste Relatório, em 2014, sendo a operação aprovada em Assembleia Geral Extraordinária em 1º/10/2014, data que a Minerva S.A. passa a operar as plantas, portanto, os resultados das duas unidades não estão aqui reportados (mais informações sobre o acordo à página 45). GRI 2.9)

 

Atendimento ao Varejo e Food Service

A Companhia opera doze centros de distribuição, nos Estados do Espírito Santo, Goiás, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo, Tocantins, Distrito Federal, Rondônia e Ceará, e um no Paraguai. Dois deles foram inaugurados no segundo semestre de 2013, nos municípios de Rolim de Moura (RO) e Uberlândia (MG). (GRI-2.3)

 

Com apoio de serviço de call center, as regionais de vendas comercializam produtos Minerva e também produtos de terceiros, facilitando aos cerca de 35 mil clientes do pequeno atacado e varejo e food service com os quais se relaciona a compra de uma variedade de itens no modelo one-stop-shop. A operação abrange cerca de 1.600 cidades no mercado interno. (GRI-2.7)


DIVISÕES MINERVA

Divisão Beef

Divide-se em dois segmentos: commodities e produtos de valor agregado.

Minerva Biodiesel

Produz biocombustível a partir de sebo bovino e outras fontes renováveis, com selo social outorgado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Minerva Casings

Produz e comercializa envoltórios naturais destinados à fabricação de embutidos.

Minerva Leather (Divisão Couros)

Comercializa couro nos estados wet blue e semiacabado para empresas moveleiras, calçadistas e de artefatos.

Minerva Live Cattle Exports

Exporta gado vivo para diversos mercados.

Minerva Beefshop

Voltada ao mercado varejista, comercializa os melhores produtos com a qualidade Minerva Foods.

Minerva Logistics

Garante a distribuição de produtos Minerva Foods ao varejo e atacado nacional e internacional. (GRI 2.3)

Aproximadamente 10 mil itens são industrializados e comercializados pela Minerva

Cortes tradicionais representarem 80% da receita bruta

LINHAS DE PRODUTOS

Os negócios da Minerva se desenvolvem em torno da industrialização e comercialização de aproximadamente 10 mil itens, compostos de carne bovina congelada e resfriada, nos mercados interno e externo, além da venda de subprodutos derivados de carne e da revenda de produtos de terceiros divididos em duas linhas: (GRI 2.8)

Commodities

São os cortes tradicionais de carne bovina e subprodutos, incluindo cortes congelados de traseiro e dianteiro; representaram 80% da receita bruta da Companhia no período de 12 meses encerrado em 31 de dezembro de 2013; e

Produtos de valor agregado

São os cortes porcionados de carne bovina in natura resfriada e congelada, altamente customizados, como bifes com gramaturas definidas e produtos resfriados que passam por estrito controle sanitário e têm vida útil (shelf life) de até 150 dias. Esses produtos são vendidos com margens maiores que as dos cortes tradicionais e são destinados principalmente a atender as indústrias de alimentos e empresas de serviços de alimentação, tais como cadeias de fastfood, caterings, restaurantes tradicionais, hotéis e lojas de varejo.

Também se enquadram neste grupo a carne in natura resfriada para exportação e os produtos cozidos e congelados pela Minerva Fine Foods, que representaram 20% da receita bruta da Companhia em 31 de dezembro de 2013. (GRI 2.7)

RECONHECIMENTO DA IFC

A consistência da demanda internacional foi um estímulo fundamental para a Minerva buscar continuamente níveis de excelência em governança e sustentabilidade.

Em 2013, um importante reconhecimento por esse esforço se materializou na forma da aquisição de ações da Companhia pela International Finance Corporation (IFC) – braço de investimentos do Grupo Banco Mundial. Pelo acordo entre as partes, a IFC vai fornecer também financiamento para o Plano de Investimentos, que visa expandir as operações da Companhia em toda América do Sul nos próximos anos (mais detalhes na página 39 deste Relatório). (GRI 2.9)

Minerva Nova Mesa

A Minerva lançou em dezembro de 2013 a linha Nova Mesa, uma seleção de carnes com cortes inovadores, fracionados de acordo com cada tipo de preparo (em porções que variam de 800 gramas a 1,1 kg), embalados a vácuo. Sugestões de receitas fáceis são impressas em papel adesivo que os consumidores só precisam descolar da embalagem da carne e transferir para livros de receitas, por exemplo. Inicialmente são 10 opções de cortes de carnes; é parte de um caminho natural de fortalecimento de marca que a Minerva começa a trilhar no varejo.

São os cortes tradicionais de carne bovina e subprodutos, incluindo cortes congelados de traseiro e dianteiro; representaram 80% da receita bruta da Companhia no período de 12 meses encerrado em 31 de dezembro de 2013; e

Integram a estratégia de comunicação da linha uma página na rede social Facebook (www.facebook.com/carnesnovamesa), onde se encontram receitas, dicas e informações sobre cozimento e conservação dos alimentos; uma série de vídeos em que as receitas são mostradas na prática; e o site portal.minervafoods.com/ minerva/receitas, que armazena todo este conteúdo.

Na primeira etapa, os produtos estão sendo comercializados apenas no interior do Estado de São Paulo, em Ribeirão Preto, Barretos e região. (GRI 2.2)

PREMIAÇÕES

 A Minerva recebeu em 2013, pelo terceiro ano consecutivo, o Prêmio Internacional de Pesquisa e Responsabilidade Socioambiental Chico Mendes, por sua contribuição para o bem-estar das pessoas e para o equilíbrio do meio ambiente. A premiação faz parte do Programa de Certificação Socioambiental (Procert), vinculado ao Global Compact – o Pacto Global da Organização das Nações Unidas. A Companhia foi premiada na categoria Gestão Privada Socioambiental Responsável. (GRI 2.10)

A Minerva foi também reconhecida, pelo segundo ano consecutivo, na avaliação anual da revista Institutional Investor, em que conquistou cinco prêmios. (GRI 2.10)

Pesquisa da mesma revista apontou o Diretor Financeiro da Minerva, Edison Ticle, entre os três melhores CFO’s (sigla para Chief Financial Officer, ou diretor financeiro, em português) da América Latina no setor de Alimentos e Bebidas, enquanto o Diretor Estatutário de Relações com Investidores (RI), Eduardo Puzziello, foi listado entre os três melhores diretores de RI do setor. (GRI 2.10)