UM NOVO MODELO DE GESTÃO

Responsabilidade sobre o produto, monitoramento constante e investimento em processos para produzir mais com menor impacto ambiental criam mais valor para o acionista.

 

Desenvolvimento sustentável foi definido de maneira inovadora ano de 1987 no relatório “Nosso Futuro Comum”, da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, conhecida ainda como Comissão Brundtland1, que propõe que, para ser sustentável, é necessário criar mecanismos que atendam às necessidades do presente sem impedir as gerações futuras de suprirem suas próprias necessidades.

Posteriormente, John Elkington2 criou um conceito que propõe a harmonização entre os pilares econômico, social e ambiental, o chamado tripé da sustentabilidade, ou triple bottom line. Esse tripé se refere a todas as relações entre a sociedade, as organizações e seus interesses.

A Minerva entende a sustentabilidade como um novo modelo de gestão corporativa, aplicando em seu cotidiano o conceito desenvolvido por John Elkington, para cumprir sua missão: “Fornecer globalmente alimentos de qualidade, com responsabilidade socioeconômica e ambiental”, o que se aprimora a cada ano. (GRI-4.8)

A Companhia mantém elevados padrões de governança e transparência. Gerencia as operações de modo a evitar, mitigar e administrar impactos e riscos, buscando sempre a eficiência operacional, a segurança e a saúde dos colaboradores, o controle ambiental, a qualidade dos produtos industrializados em condições sanitárias adequadas, em conformidade com padrões internacionais, sem esquecer o bemestar animal. (DMA-EN; GRI-1.2)

Condições sanitárias seguem padrões internacionais

A Minerva Foods respeita integralmente as normas expedidas pelos órgãos reguladores, assim como a legislação aplicável, procurando assim atender, de forma responsável e comprometida, os princípios e critérios de gestão ambiental em todas as unidades. (DMA-EN)

Para garantir a qualidade e a higiene dos alimentos, a Minerva adota boas práticas nas operações e processos. Em razão dessa política, recebeu as certificações globais de segurança alimentar (HACCP e BRC Food), as quais asseguram que a totalidade da produção nas unidades certificadas atende aos ditames da norma. Confirmam o atendimento às normais internacionais as auditorias anuais realizadas por certificadoras autorizadas como a WQS – World Quality Services. (GRI-4.12)

Certificações Globais

HACCP – Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle das ameaças à saúde humana nos processos industriais em linha com o código internacional de Princípios Gerais de Segurança Alimentar. As unidades certificadas HACCP são Rolim de Moura/RO, Batayporã/ MS, Araguaína/TO.

 

BRC Food – Conjunto de normas de qualidade e segurança para a produção de alimentos elaborado pelo BRC – British Retail Consortium. Possuem certificações BRC Food as unidades de Barretos/SP, José Bonifácio/SP e Palmeiras de Goiás/GO). (GRI-4.12; GRI-PR1)

 

1 - http://www.onu.org.br/a-onu-em-acao/a-onu-e-o-meio-ambiente/

2 - http://www.amigosdolivro.com.br/lermais_materias.php?
cd_materias=8484